Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese





Partilhe esta Página




Início

 

powered by Web Player 

Como o próprio nome já sugere - ATREVIDOS DA MESA - representa o grupo, a família, o clã daqueles que fazem da comunidade GAMEZER o lugar para demonstrar uma das caracteristicas mais atraentes do perfil humano: A OUSADIA - O ATREVIMENTO. Fundado por Ita Dias (ADM ITA FDR) e Jaci Maria (ADM BONEKA FDR) o clã/grupo ADM TORNEIOS está presente nos jogos de billiard online desde 13/04/2013. Presente também no FACEBOOK , FóRUM E também no VK. É conhecido pela fama que o próprio nome carrega, visto que seus jogadores fazem da designação "ATREVIDO" marca registrada em seus jogos. Desde já, a família ATREVIDOS DA MESA agradece a vinda de todos. Aqui encontrarão poesia, reflexões, dicas de saúde, alimentação saudável, receitas saborosas, entre outras variedades -by ᵃᵈᵐLOKIᵈᶰ

 

 

24 de Junho - Dia de São João Batista –

O santo festeiro Hoje é o dia de São João Batista, conhecido no Brasil como o Santo Festeiro, por causa das manifestações, e celebrações, com muita dança e fogueira, fogos e diversão.

 Daí originou o nome da festa “Jonina“, ou “Junina”. João, era filho de Zacarias e Izabel, nasceu no dia 24 de Junho, na Judeia, e de acordo com algumas historias, ele nasceu em uma noite muito bonita, e que Izabel, para dar um sinal à prima Maria, mãe de Jesus, avisando-a que o bebê havia nascido, ergueu um mastro e acendeu uma fogueira, que pudesse ser vista a distância no deserto.

Maria, em sua primeira visita ao bebê levou uma capelinha, um feixe de palha seca, e folhas de manjericão perfumadas. Por isso o mastro, a fogueira, balões e fogos, simbolizam a tradicional Festa Junina.

São João recebeu o nome de Batista, porque realizava a pratica da purificação através da imersão na água, que chamamos de batismo, tendo inclusive batizado Jesus Cristo, nas águas do Rio Jordão.

 Esta prática tornou uma tradição no cristianismo. João era um pregador, falava de amor e do reino de Deus, e assim, ele também não agradava os poderosos, principalmente, por denunciar problemas sociais. Por isso foi preso em uma fortaleza por 10 meses, a mando do Rei Herodes, e depois decapitado, atendendo os caprichosos pedidos de Salomé, a filha do Rei. Um fato curioso é o nome de São João Batista ser citado nas três principais religiões: O Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo. Para celebrar este dia tão feliz, nada como comemorar a Festa Junina, em homenagem a São João Batista.

 Para isso, aqui vão algumas cantigas em nome do santo.

Capelinha de Melão Autor: João de Barros e Adalberto Ribeiro Capelinha de melão, é de São João. É de cravo, é de rosa, é de manjericão. São João está dormindo, não me ouve não. Acordai, acordai, acordai João. Atirei rosas pelo caminho, a ventania veio e levou. Tu me fizeste com seus espinhos uma coroa de flor. Pedro,

 Antônio e João Autor:

Benedito Lacerda e Oswaldo Santiago

 Com a filha de João, Antônio ia se casar, Mas Pedro fugiu com a noiva, na hora de ir pro altar. A fogueira está queimando, o balão está subindo, Antônio estava chorando, e Pedro estava fugindo. E no fim dessa história, ao apagar-se a fogueira, João consolava Antônio, que caiu na bebedeira. Cai, cai, balão Cai, cai, balão... Cai, cai, balão. Aqui na minha mão. Não vou lá, não vou lá, não vou lá. Tenho medo de apanhar. Balãozinho Venha cá, meu balãozinho, diga aonde você vai. Vou subindo, vou pra longe, vou pra casa dos meus pais. Ah, ah, ah, mas que bobagem. Nunca vi balão ter pai. Fique quieto neste canto, e daí você não sai. Toda mata pego fogo, passarinhos vão morrer. Se cair em nossas matas, o que pode acontecer. Já estou arrependido, quanto mal faz um balão. Ficarei bem quietinho, amarrado num cordão.

 Sonho de papel

 Autor: Carlos Braga e Alberto Ribeiro

O balão vai subindo, vem caindo a garoa. O céu é tão lindo e a noite é tão boa. São João, São João! Acende a fogueira no meu coração. Sonho de papel a girar na escuridão soltei em seu louvor no sonho multicor. Oh! Meu São João. Meu balão azul foi subindo devagar O vento que soprou meu sonho carregou. Nem vai mais voltar.

Fonte: gazetadebeirute

 

 

Que este Ano traga paz e a fé seja renovada e fortificada no coração de cada um. Que Deus oriente, proteja e abençoe a todos com um Ano de muitas alegrias, saúde, amor e paz. Próspero 2016, meus amigos!

 

 

Ao pensarmos sobre o Carnaval, temos o hábito de considerá-lo como uma típica festa brasileira. A presença dessa festividade em nossa cultura é tão grande que muitos chegam a afirmar que o ano começa depois do Carnaval. No exterior, essa mesma festa se transformou em um dos grandes referenciais da cultura brasileira. No imaginário de muitos estrangeiros “carnaval” está entre as três primeiras palavras quando o assunto é Brasil.

No entanto, podemos afirmar que o carnaval não é uma festa brasileira. Remontando pesquisas históricas que chegam até a Antiguidade Clássica, temos informações que os festejos de carnaval passaram por muitas transformações e se fez presente em diferentes culturas do mundo. Até chegarmos ao Carnaval dos padrões hoje conhecidos, diferentes tipos de festa ocorreram com o mesmo nome.

O carnaval é originário da Roma Antiga e, incorporado pelas tradições do cristianismo, passou a marcar um período de festividades que aconteciam entre o Dia de Reis e a quarta-feira anterior à Quaresma. Em Roma, a Saturnália seria a festa equivalente ao carnaval. Nela um “carro naval” percorria as ruas da cidade enquanto pessoas vestidas com máscaras realizavam jogos e brincadeiras.

Segundo outra corrente, o termo “carnaval” significa o “adeus à carne” ou “a carne nada vale” e, por isso mesmo, traz em sua significação a celebração dos prazeres terrenos. Em outras pesquisas, alguns especialistas tentam relacionar as festas carnavalescas com os rituais de adoração aos deuses egípcios Ísis e Osíris.

Mesmo contando com a resistência de algumas alas mais conservadoras, o Carnaval passou a contar com um período de celebração regular quando, em 1091, a Igreja oficializou a data da Quaresma. Contando com esse referencial, o carnaval começou a ser usualmente comemorado como uma antítese ao comportamento reservado e à reflexão espiritual que marcam a data católica. Assim, a festa carnavalesca passou a ser compreendida como um período onde as obrigações e diferenças do mundo cotidiano fossem anuladas.

Durante a Idade Moderna, os bailes de máscara, as fantasias e os carros alegóricos foram incorporados à festa. Com o passar do tempo, as características improvisadas e subversivas do Carnaval foram perdendo espaço para eventos com maior organização e espaços reservados à sua prática. Grande parte da inspiração do nosso carnaval contemporâneo foi trazida com a grande influência que a cultura francesa teve no Brasil, principalmente, no século XIX.

Atualmente, o prestígio alcançado pelos desfiles de carnaval, principalmente no Rio de Janeiro e em São Paulo, e a disseminação das chamadas micaretas trouxeram novas transformações ao evento. Alguns críticos chegam a afirmar que o sentido popular da festa perdeu lugar. Apesar dessas mudanças, esse quatro dias do calendário são aguardados com muita expectativa. Seja pela expectativa do festejo, ou pelo descanso.


Por Rainer Sousa
Mestre em História

Fonte:Mundo Educação

 

 

Se não tivéssemos inverno, a primavera não seria tão agradável: se não experimentássemos algumas vezes o sabor da adversidade, a prosperidade não seria tão bem-vinda.
Anne Bradstreet

 

 

topo